terça-feira, 3 de outubro de 2017

Peculiar Perplexing Perils of Professor Poldark: The Incredible Shrinking Professor!


Nome: Peculiar Perplexing Perils of Professor Poldark: The Incredible Shrinking Professor!
Editora: Rucksack Games
Autor: John Blythe
Ano de lançamento: 2017
Género: Plataformas
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Kempston, Sinclair
Número de jogadores: 1

John Blythe continua a dar cartas com o lançamento de divertidos jogos para o Spectrum. No início do ano saiu Foggy´s Quest (estejam atentos ao próximo número da Espectro, pois irão ter uma surpresa). Em agosto foi Circuitry. E agora este The Incredible Shrinking Professor, com grandes parecenças com os outros dois mencionados. Ou seja, estamos perante uma aventura de arcada, repleta de plataformas e inimigos para evitar. Mas comecemos pelo início...

No centro de investigação Revanox Bio-Chem (divisão farmacêutica e de cosmética) o dia começou como qualquer outro para o professor Peter Poldark. As cobaias (neste caso coelhos), já têm os tratamentos faciais e produtos de beleza aplicados, mas os testes estão prestes a pararem. Esta parte era dispensável, se bem que seja uma realidade na indústria farmacêutica, mas adiante, deixemo-nos de lições de moral. Junto ao centro de investigação encontram-se instalações militares, e subitamente a sirene toca, pois ocorre uma invasão de vespas, aranhas e formigas geneticamente modificas, além de nuvens químicas que invadem o laboratório do infeliz professor. Este perde a consciência e quando acorda, encontra-se deitado nos seu laboratório, mas com apenas uma polegada de altura. A única esperança de voltar ao tamanho original é tomarem uma poção de um elixir, mas para o qual necessitam de adicionar alguns ingredientes (três comprimidos de crescimento azul, dois comprimidos de solidificação verdes e um cristal condutor em forma de diamante branco). Cabe a nós encontrá-los no meio do complexo, para depois encontrarmos também a tina onde o professor irá tomar um banho revigorante e que lhe permite voltar ao tamanho original.


Com esta história tão louca começamos a nossa missão, na pele do professor Poldark, claro. Além de termos que encontrar os ingredientes espalhados pelo laboratório, temos também que saber com usar alguns objetos que serão úteis (ou essenciais) no cumprimento da nossa missão. Mas apenas poderemos carregar um de cada vez, pelo que algum pensamento lateral é-nos exigido. E estes apenas poderão ser usados em locais específicos (marcados com um ponto de interrogação). Os inimigos são também mais que muitos e evitá-los exige muita perícia e um timing de salto exato, pois um passo em falso e é a morte do artista (neste caso do professor).

A profusão de cores é uma coisa espantosa, sendo um dos motivos que nos leva a gostar tanto dos jogos deste autor. O colour clash é uma inevitabilidade, mas como diz o famoso autocolante: I love colour clash!. Por vezes os cenários fazem-nos lembrar Dynamite Dan, tal a loucura envolvida nos sprites e nos gráficos utilizados. E que dizer da música, que é um delírio para os ouvidos? Da autoria de David Saphier e Allan Turvey, evidentemente.


Este é também um jogo que vos vai manter ocupado durante muito tempo. É que é difícil, difícil, e com apenas três vidas iniciais (poderão apanhar mais pelo caminho), estas esgotam-se num piscar de olhos. No entanto, e à semelhança de Circuitry, apesar de por vezes o grau de dificuldade nos levar ao desespero, tem o condão de nos puxar sempre para mais um jogo. O único senão é a ausência da possibilidade de definição das teclas, sendo as escolhidas mais apropriadas para um canhoto e que não serão do agrado de toda a gente.

Com cinco jogos de grande qualidade editados num tão curto espaço de tempo, Jane Jelly 2, The Planet of Death, Em Busca do Mortadela, The Sword of Iamma e agora este The Incredible Shrinking Professor!, falta-nos tempo para chegar ao final de todos. Mas aquilo que deu para ver, deixou-nos saciados e com apetite pelo próximo jogo deste autor.

Podem aqui vir descarregar gratuitamente o jogo, sendo possível que brevemente venha a sair em cassete.

Sem comentários:

Enviar um comentário