quarta-feira, 18 de outubro de 2017

RetroForce


Nome: RetroForce
Editora: NA
Autor: Climacus & KgMcNeil
Ano de lançamento: 2017
Género: Shoot'em'up
Teclas: Redefiníveis
Joystick: Kempston
Número de jogadores: 1

Os concorrentes ao prestigiado concurso ZX Dev 2017 começam agora a mostrar os seus trabalhos. O primeiro deles, e do qual já havíamos dado conta numa preview em junho, é RetroForce, inspirado no shooter de 1984, Star Force. E desde logo uma particularidade interessante, tem dois ecrãs de carregamento, o primeiro a anunciar provavelmente um novo jogo destes autores, Alien DropShips. Quanto a RetroForce, será um sério concorrente a vencer o concurso.

No manual que o acompanha, terão um extenso capítulo sobre os antecedentes da vossa missão, necessário para enquadrar todos os candidatos a piloto. Mas vamos passar essa parte, para dizer apenas que a missão consiste em liderar uma equipa de assalto, que vai entrar profundamente em território inimigo para destruir o mais possível das suas infraestruturas. E este é mesmo um objetivo primordial, uma vez que só avançam de nível após destruírem um número pré-definido de alvos, caso contrário têm que o recomeçar (perdendo uma vida), o que não convém nada, diga-se, uma vez que na missão que vos foi atribuída constam vinte e quatro diferentes níveis.


Iniciam o jogo (apenas) com nove vidas e qualquer contacto com as naves inimigas revela-se fatal. O mesmo não acontece com os tiros inimigos, pois a vossa nave possui um escudo capaz de absorver uma série de tiros antes de ser definitivamente destruída (e perderem mais uma vida).

Por natureza, RetroForce já é bastante difícil, mas se acharem que a vossa missão é brincadeira de crianças, têm sempre a possibilidade de nas opções iniciais aumentar a precisão e rapidez dos tiros inimigos, assim como alterar o próprio sistema de colisão. Aconselhamo-vos a não o fazerem enquanto não forem pilotos experimentados.

Como é habitual também neste tipo de jogos, têm alguns add-ons que melhoram a performance da nave: tiro automático, bombas inteligentes, bombas de solo e pontos extra, que podem conceder mais tarde vidas extra (e bem vão precisar delas).


Como seria de esperar, RetroForce é monocromático, o que por vezes potencia um dos grandes problemas neste tipo de jogos. Assim, acontece com frequência não conseguirem ver os tiros inimigos e a vossa nave ser destruída sem saberem porquê. Por outro lado, os gráficos são interessantes, com reminiscências de shoot'em'ups bem conhecidos dos anos 80, como Slap Fight ou W.A.R.. Mas cumprem eficazmente com a missão, e isso é o mais importante.

Já o som limita-se praticamente a uma melodia inicial e ao barulho dos tiros e das colisões. Neste aspeto, poder-se-ia ter investido mais qualquer coisa, mas também se compreende que com vinte e quatro níveis, dificilmente se conseguiria memória para colocar melhoramentos do género.

Não obstante as (poucas) fragilidades encontradas, este é um jogo que vai encantar todos aqueles que gostam de um bom "tiro-neles", tendo todos os condimentos que se encontram nos clássicos do género. Ainda para mais sendo gratuito, podendo aqui ser descarregado.

Ficam ainda dois pokes muito úteis que vos permite avançar mais facilmente em RetroForce:
  • Poke 24734,n (n é o número de vidas) 
  • Poke 55030,0 (vidas infinitas)

Sem comentários:

Enviar um comentário