terça-feira, 10 de outubro de 2017

Space Escape


Nome: Space Escape
Editora: Amcgames
Autor: Aleisha Cuff
Ano de lançamento: 2017
Género: Ação
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Kempston, Sinclair
Número de jogadores: 1

Space Escape é a estreia muito promissora para Aleisha Cuff, provando que o mundo do Spectrum não é exclusivamente masculino, e o que desde logo registamos com muito agrado. Criado através do Arcade Game Designer, tal como uma boa parte dos jogos lançados ultimamente, tem algumas nuances que lhe dão motivos para se destacar perante os demais. Mas primeiro, a história do jogo...

Enquanto estávamos numa missão de rotina num sector supostamente vazio do espaço, vemo-nos de repente emboscados por um esquadrão de naves inimigas. Aparece um flash brilhante, e quando pensávamos que era o nosso fim, afinal não foi. Ainda, pois acordamos numa base alienígena guardada por muitos inimigos. Mas essa nave não é lá muito organizada, pois deixam ao nosso alcance (após uma busca exaustiva da mesma), uma arma muito útil para dar cabo dos robôs e outros seres que a patrulham. No entanto, para escaparmos da base temos ainda que encontrar combustível e a chave que permite lançar a nossa nave.


O que desde logo sobressai em Space Escape, além da sua boa jogabilidade, são os teletransportadores que nos permitem aceder a outros pontos da base. Nem todos são úteis, e, sendo a base um enorme labirinto (são cerca de trinta salas), vamos ter que trabalhar muito até conseguir encontrar todos os objetos de que necessitamos. Assim, a primeira tarefa é mesmo encontrar o laser, pois isso vai facilitar-vos muito a vida. A segunda será fazer um mapa, pois doutra forma não irão muito longe.

Graficamente Space Escape é bastante agradável, bastante colorido e com muito colour clash, mas que nem por isso lhe retira brilhantismo. Já a melodia, "Time and Space", da autoria do DJ Serg, embora bem feita, satura ao fim de algum tempo, e temos a tendência para baixar o volume da TV ou do computador. Mas como a ação é frenética, acabamos por nem ter tempo para a apreciar devidamente.


Não sendo um jogo fácil, a autora teve o cuidado de, segundo as suas palavras, torná- lo desafiante, mas não frustrante, tendo sido bem-sucedida na sua tarefa, dizemos nós.

O jogo é gratuito e pode aqui ser descarregado. E desde já agradecemos a esta nova autora de jogos para o Spectrum, a quem auguramos um futuro muito promissor e que deverá servir de exemplo para muitos (e muitas).

Sem comentários:

Enviar um comentário