sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Knight Hero


Nome: Knight Hero
Editora: NA
Autor: Jaime Grilo
Ano de lançamento: 2017
Género: Plataforma
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Kempston, Sinclair
Número de jogadores: 1

Jaime Grilo, o profícuo programador português, não consegue estar parado. E desta vez presenteia-nos em dose dupla, até porque o Natal está à porta e este tipo de prendas caem sempre bem. 

Quem segue o fórum do facebook dedicado ao Arcade Game Designer já sabia o que poderia esperar, pois Jaime vai-nos dando a conhecer, com bastante regularidade, o desenvolvimento dos seus jogos (mais alguns estão na calha para breve, mantenham-se atentos a este espaço). E o que aqui temos é uma ideia muito original, tal como os leitores do fórum foram também dando a entender. Assim, apesar de movimentarmos peças de xadrez, não estamos perante esse popular jogo de tabuleiro, mas sim um platformer típico, que nem foge assim tanto aos anteriores registos de Jaime.


E dose dupla porquê, perguntar-se-ão os nossos leitores? Porque têm a possibilidade de assumir a pele do cavalo branco ou preto, embora depois a mecânica do jogo seja exatamente igual. Mas cada um deles tem o seu ecrã de carregamento e as cores também se invertem durante o jogo, como seria de esperar.

A vossa tarefa é então libertar os vossos companheiros, isto é, as restantes peças da vossa cor, aprisionadas pelo adversário. E no final ainda têm que recuperar o tabuleiro de xadrez, que se encontra fechado. Só assim poderão dar xeque-mate ao vosso adversário. 

Ao longo dos dezassete ecrãs que compõem esta aventura terão que saltar pelas plataformas, ativar botões e apanhar chaves que abrem portas, saltar por cima dos vossos inimigos, e fugir a outros cujo movimento não segue um padrão tão regular (alguns até têm a capacidade de voar). Relativamente a outros jogos do mesmo autor, como as aventuras de Jane Jelly, por exemplo, nota-se que o nível de dificuldade aumentou, muito por força dos inimigos que não têm o tal padrão regular de movimentação. Terão que estar sempre em movimento, com pouco tempo para respirar. Aliás, há mesmo níveis (ou ecrãs) em que se não começam logo a movimentar-se, serão imediatamente apanhados pelas peças adversárias (não é como no xadrez que têm bastante tempo para pensar nas vossas jogadas).


Perante tantas dificuldades, as cinco vidas com que começam a vossa missão são manifestamente poucas até começarem a memorizar a melhor forma de escaparem às peças inimigas em cada nível. A não ser que façam alguma batota, como nós, que vamos salvando a nossa posição para conseguir ir avançando mais rapidamente. Mas experimentem jogar num Spectrum real e verão o que estamos a dizer.

Graficamente Knight Hero também prima por alguma originalidade, a música é interessante (apenas para o modo 128 k), e se algum defeito temos a apontar a este jogo, será o de ser apenas um pouco curto, com pouca profundidade, pois os dezassete níveis acabarão por inevitavelmente ser finalizados, mais cedo ou mais tarde.

De qualquer forma, será o jogo perfeito para a época que se avizinha, em que o que interessa é passar uns bons momentos, e isso sem dúvida Knight Hero proporciona.

Convidamos-vos a virem descarregar Knight Hero à nova página de Jaime Grilo, que será também o repositório dos seus jogos, contendo ainda informação adicional sobre os mesmos. Entretanto espera-se que seja lançada a versão física (cassete), via Bum Fun Software.

Sem comentários:

Enviar um comentário