sábado, 10 de fevereiro de 2018

Impossabubble


Nome: Impossabubble
Editora: Monument Microgames
Autor: Dave Clarke
Ano de lançamento: 2018
Género: Plataformas
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Kempston
Memória: 48/128K
Número de jogadores: 1

Impossabubble era um dos mais aguardados jogos dos últimos tempos, tendo o seu autor vindo a deixar-nos com água na boca à medida que ia dando conta da progressão que ia fazendo no fórum do Arcade Games Designer (que seguimos com toda a atenção). E o mínimo que podemos dizer é que Impossabubble corresponde por inteiro às expetativas criadas.

Neste jogo assumimos o papel de uma bolha que tem que resgatar os seus amigos (vinte e uma outras bolhas). Estas ficaram aprisionadas dentro de recipientes e temos agora que chegar até elas, por forma a libertá-las. Estão assim criadas as condições para nos embrenharmos em mais um jogo de plataformas, muito interessante, por sinal.

A primeira coisa que desde logo nos chama a atenção (se carregarem a versão 128 K), é a banda sonora, da autoria de David Saphier. Como já é habitual nos trabalhos deste artista, é simplesmente brilhante. Melodias tipicamente 80's, a fazerem-nos lembrar algumas das boas bandas synth pop da altura (Depeche Mode e Yazoo, à cabeça), acompanham-vos durante todo o jogo. E poderemos dizer que neste caso faz toda a diferença (experimentem a jogar sem som).


A mecânica do jogo faz-nos também lembrar Cauldron II, muito embora aqui apenas tenham três teclas, esquerda, direita, e a de salto (não podem disparar contra os vossos opositores). Ou melhor, uma tecla que vos permite saltar mais alto, pois estão permanentemente aos pulos. Quem se lembra do mencionado jogo, sabe do que aqui falamos.

Assim, e não podendo os muitos inimigos e obstáculos "naturais" que impedem a incessante busca pelos vossos companheiros serem eliminados, terão que saltar por cima deles. Daí que a opção por um salto maior seja fundamental para os ultrapassar. Logicamente que um timing perfeito de salto é condição essencial para irem avançando na missão, coisa que irão aprender à força depois de verem muitas bolhas serem rebentadas com um plop.

Atenção também que nem tudo o que parece é, e apenas conseguirão chegar a algumas salas depois de explorarem muito bem todos os cantos e objetos. Lembrem-se que as bolhas poderão ter capacidade para atravessarem alguns pontos sem que rebentem...


Os cenários criados revelam o grande cuidado que o autor dedicou a esta vertente. por vezes fazem-nos lembrar os trabalhos de John Blythe, extremamente coloridos, com sprites muito bem desenhados e apelativos,e, tal como a música, faz com que torne a experiência de jogo recompensadora. Mas não esperem grandes facilidades e rapidamente vão descobrir que as cinco vidas inicias são poucas, muito poucas.

Mas as surpresas não se ficam por aqui. Depois de conseguirem resgatar os vossos amigos e literalmente ficarem nas nuvens (descobrirão o que isso é quando lá chegarem), vendo o ecrã a congratular-vos, irão ver que afinal a vossa missão ainda não está completa. Terão ainda uma ultima tarefa para cumprir, tendo um mini jogo para fazer (isto se fizerem um percurso limpo ou praticamente limpo). Só depois poderão ficar com a sensação de dever cumprido, e ai sim, terão a recompensa devida (em mais uma bela surpresa do autor). Esta sequência toda fez-nos lembrar as atuações dos Monty Python, em que até mesmo após o show terminar, havia surpresas. Portanto não se levantem dos vossos lugares antes do jogo expirar.


Tendo em conta que Impossabubble representa a estreia de Dave Clarke, podemos dizer desde já que estamos perante mais um programador da nova geração com um futuro brilhante à frente, fazendo-nos lembrar o já mencionado John Blythe, mas também Andy Johns ou Mat Recardo, que tão bons jogos nos têm deixado ultimamente.

Impossabubble estará disponível em breve via Monument Microgames. Esperem um lançamento recheados de muitos extras. Se quiserem apenas o ficheiro digital, poderão obtê-lo aqui pela módica quantia de 1,49 usd.

Sem comentários:

Enviar um comentário